Controlo inibitório em crianças medido através da tarefa Stroop Animal

Ana Sofia Costa, São Luís Castro

Resumo


O crescente interesse pelo funcionamento executivo em crianças torna premente a questão da medida empregue para o examinar. O efeito de Stroop tem sido usado para este fim. A tarefa Stroop Animal de Wright, Waterman, Prescott, e Murdoch-Eaton (2003) procura resolver limitações de outras variantes da tarefa Stroop aplicada a crianças, e permite obter uma medida de interferência que reflecte o controlo inibitório. Apresentamos aqui os resultados nesta tarefa de um conjunto de crianças e jovens portugueses agrupados em quatro faixas etárias: 5/6 anos, 7/8 anos, 10-12 anos e jovens adultos. Observámos uma melhoria na capacidade de resolução da interferência, manifestada na diminuição dos erros e dos tempos de reacção, com o aumento da idade. A menor exactidão e o aumento dos tempos de reacção na condição incongruente relativamente à condição controlo evidenciou um menor controlo inibitório nas crianças mais novas, de 5/6 e 7/8 anos, do que nas crianças de 10-12 anos e adultos jovens. Os resultados obtidos permitem caracterizar o padrão desenvolvimental do efeito Stroop nesta tarefa, e comprovam a sua utilidade para medir o funcionamento executivo em crianças mais novas.


Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/lp.648

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Eletrónico: 1646-6004 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | Portal otimizado para Internet Explorer 10, Firefox 32+, Chrome 37+ e Safari 5+.