Estabilidade gráfica das produções escritas e conceptualizações infantis sobre a linguagem escrita: Escrita cursiva e escrita a computador

Tiago Almeida, Ana Cristina Silva

Resumo


O objetivo deste estudo foi comparar as produções escritas de crianças de idade pré-escolar em dois momentos consecutivos e avaliar em que medida a utilização do computador pode aumentar o número de letras corretamente mobilizadas comparativamente à utilização de escrita cursiva. Participaram 90 crianças de 3 jardins-de-infância da área de Lisboa. As crianças eram equivalentes quanto à idade, inteligência e número de letras que conheciam e diferiam no nível conceptual sobre a escrita. Foram criados 3 grupos experimentais (n = 30) definidos em função do nível conceptual (Alves Martins, 1996): silábico com fonetização, silábico-alfabético e alfabético. Os participantes escreveram uma mesma lista de palavras em momentos consecutivos (cursiva e computador) e compararam-se as letras corretamente fonetizadas em cada um dos momentos. As crianças silábicas com fonetização e alfabéticas apresentaram maior número de pares de palavras escritas com identidade total do que as crianças silábico-alfabéticas. Por outro lado, os pares de produções escritas com maior alternância grafo-fonética foram mais frequente nos participantes do nível conceptual silábico-alfabético quando comparadas com as produções das crianças dos outros dois grupos. Os resultados indicam ainda que o número de letras corretamente mobilizadas nas escritas infantis é superior quando a escrita é realizada no computador.


Palavras-chave


Conceptualizações sobre a linguagem escrita, Estabilidade gráfica, Pré-escolar

Referências


Alves Martins, M. (1996). Pré-história da aprendizagem da leitura. Lisboa: ISPA.

Alves Martins, M., Mata, L., & Silva, (2014). Conceptualizações Sobre a Linguagem escrita. Percursos de Investigação. Análise Psicológica, 32, 2, doi.org/ 10.14417 /ap. 841

Besse, J-M. (1995). L´ecrit, l´école et l´illettrisme. Paris: Magnard.

Byrne, B. & Fielding-Barnsley, R. (1990). Acquiring the alphabetic principle: A case for teaching recognition of phoneme identity. Journal of Educational Psychology, 82 (4), 805-812

Ferreiro, E. (1988). L´écriture avant la lettre [Writing before the letter]. In H. Sinclair (Ed.), La prodution des notations chez le jeune enfant [The production of notations in young children] (pp.18-69). Paris: Presses Universitaires de France.

Ferreiro, E. (2004). Entre a sílaba oral e a palavra escrita. In E. Ferreiro (Ed.) O ingresso na escrita e nas culturas do escrito. São Paulo : Cortez Editora.

Ferreiro, E. (2006). Nuevas tecnologias y escritura. Docencia, 30, pp. 46-53

Ferreiro, E. (2013). Acerca de rupturas ou continuidade na leitura e escrita. In E. Ferreiro (Ed.), Alfabetização em Processo (pp. 423-443). São Paulo : Cortez Editora

Ferreiro, E., & Teberosky, A. (1979). Los sistemas de escritura en el desarrollo del niño. México: Siglo XXI.

Haugland, S. W. (1992). The Effect of Computer Software on Preschool Children's Developmental Gains. Journal of Computing in Childhood Education, 3(1), 15–30.

Masterson, Apel e Wood (2002)

Molinari, M. C., (2007). Estabilidad y variación de las palabras en los inicios de la alfabetizatción (escritura Manual y con computadora). Dissertação de Mestrado. México: DIE- CINVESTAV

Molinari, M. C. & Ferreiro, E. (2007) Identidades e Diferencias en la Escritura en Papel y en Computadora en las Primeras Etapas del Processo de Alfabetización. Revista Latino Americana de Lectura (Lectura y Vida), 4, pp 18-30.

Piazza, C. L., & Riggs, S. (1984). Writing with a computer. An invitation to play. Early Child Developmental an Care, 17, 63-76.

Pontecorvo, C. (2005). Discutir, argumentar e pensar na escola. O adulto como regulador da aprendizagem [Discussing, arguing and thinking in school. The adult as a regulator of learning]. In C. Pontecorvo, A. M. Alejo, & C. Zucchermaglio (Eds.), Discutindo se Aprende: Interacção social, conhecimento e escola [Discussing promotes learning: Social interaction, learning and school] (pp. 65–88). Porto Alegre: Artmed Editora.

Pontecorvo, C., & Orsolini, M. (1996). Writing and written language in children´s development. In C. Pontecorvo, M. Orsolini, B. Burge & L. Resnick (Eds.), Children´s early text construction. New Jersey: Lawrence Erlbaum.

Raven, J., Raven, J. C., & Court, J. H. (1998). Manual for Raven’s progressive matrices and vocabulary scale. Section I. General overview. Oxford: Oxford Psychologists Press.

Salvador, L., Albuquerque, A., & Alves Martins, M. (2012). Análise qualitativa dos efeitos de um programa de intervenção de escrita inventada na evolução da escrita de crianças em idade pré-escolar. In L. Mata, F. Peixoto, J. Morgado, J. Castro Silva, & V. Monteiro (Eds.), Actas do 12o Colóquio Internacional de Psicologia e Educação: Educação, aprendizagem e desenvolvimento: Olhares contemporâneos através da investigação e da prática (pp. 17-32). Lisboa: ISPA-IU.

Shilling, W. A. (1997). Young Children Using Computers to Make Discoveries About Written Language. Early Childhood Education Journal, 24, 253-259.

Sulzby, E. (1989). Assessment of emergent writing and children´s language while writing. In L. Morrow & J. Smith (Eds.), Writing in real time: Modelling production processes (pp. 83-109). New York: Longman.

Tantaros, S. (2007). Invented spelling in the Greek context. L1 – Educational Studies in Language and Literature, 7(3), 31-62.

Tolchinsky, L. (1995). Desenvolvimento da alfabetização e suas implicações pedagógicas: Evidências do sistema hebraico de escrita. In Y. Goodman (Ed.), Como as crianças constroem a leitura e a escrita (pp. 36-53). Porto Alegre: Artes Médicas.

Tolschinsky, L. L., & Teberosky, A. (1998). The development of word segmentation and writing in two scripts. Cognitive development, 13, 1-24. doi: 10.1016/S0885-2014(98)90018-1


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISBN (in print): 0870-8231 | ISBN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | Portal otimizado para Internet Explorer 10, Firefox 32+, Chrome 37+ e Safari 5+.