Discursos políticos e retórica em torno da Lei da Unicidade Sindical na revolução portuguesa de 1974

Virgílio Amaral

Resumo


Resumo: O presente trabalho tem como objectivo principal entender, através da análise dos discursos políticos em torno da Lei da Unicidade Sindical que ocorreu no contexto revolucionário do pós 25 de  Abril de 1974 em Portugal, de que forma as partes em contenda construíram diferentes concepções sobre as modalidades de organização laboral. Baseados, por um lado, nas propostas de análise de discursos dialógicos de Marková (2006), assim como nos modelos de análise de discurso retórico de Billig (1991) e Castro (2002), e, por outro lado, nas noções de dicotomias argumentativas ou polaridades ideológicas de Van Dijk (2006), procedeu-se à reconstrução dos discursos veiculados nos argumentários, tendo-se verificado que determinados termos – como Sindicatos ou Liberdade – assumem diferentes sentidos para cada das partes em contenda. Verificou-se também que determinados mecanismos retóricos elencados por Castro (2002) e Amaral & Pereira (2014) são tendencialmente usados por cada um dos lados. Adicionalmente, a análise do corpus de discursos políticos permitiu relevar um mecanismo próprio das comunicações unidireccionais persuasivas (como a propaganda), que não sendo característico dos discursos dialógicos, permite aceder à dicotomias argumentativas / polaridades ideológicas que sustentam as diferentes concepções sobre as modalidades de organização laboral propostas à época


Palavras-chave


Palavras-chave: Discursos Políticos, Retórica, Propaganda, Revolução portuguesa de 25 de Abril de 1974, Lei da Unicidade Sindical

Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISBN (in print): 0870-8231 | ISBN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | Portal otimizado para Internet Explorer 10, Firefox 32+, Chrome 37+ e Safari 5+.