Funcionamento familiar e estratégias de resolução de conflitos na fratria

Joana Lopes de Carvalho, Inês Carvalho Relva, Otília Monteiro Fernandes

Resumo


Diferentes caraterísticas familiares podem influenciar as táticas usadas pelos irmãos para resolver conflitos. O presente estudo analísa a relação entre o funcionamento familiar (medido pelas Family Adaptability and Cohesion Scales – FACES IV) e as táticas de resolução de conflitos (avaliadas através das Revised Conflict Tactics Scales – Sibling Version; CTS2-SP). A amostra foi constituída por 353 sujeitos (entre os 12 e os 18 anos de idade). Os resultados indicaram que os rapazes são quem mais utiliza a agressão física sem sequelas. Relativamente à relação entre o funcionamento familiar e as táticas de resolução de conflitos, as dimensões equilibradas do funcionamento familiar encontram-se associadas positivamente às táticas de resolução de conflitos adequadas (a negociação), verificando-se o oposto para as dimensões desequilibradas do funcionamento familiar, que apresentam associações positivas a agressão (física e/ou psicológica). Os resultados sugerem um efeito preditor da qualidade do funcionamento familiar nas táticas de resolução de conflitos utilizadas no contexto fraterno. Será então importante que se desenvolvam ações junto da comunidade no sentido de sensibilizar para a magnitude e consequências nefastas da violência na fratria, trabalhando as competências comunicacionais das famílias, para melhorar a coesão e a satisfação familiares para uma gestão mais positiva dos conflitos na fratria.


Palavras-chave


Funcionamento familiar, FACES IV, CTS2-SP, Violência na fratria

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.1354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons 'CC BY-NC '