A relação psicoterapêutica na abordagem fenomenológico-existencial

Jadir Machado Lessa, Roberto Novaes de Sá

Resumo


Este artigo mostra como, desde sua emergência histórica, a psicoterapia de base fenomenológico-existencial tem como preocupação central a compreensão da existência concreta, em oposição as explicações teóricas abstratas de inspiração científico natural. Como consequência, a relação terapêutica jamais se reduz a um encontro técnico entre especialista e cliente, enquanto subjetividades isoladas, mas deve ser vista como a dimensão mais essencial da clínica e elaborada tematicamente como um modo específico de encontro existencial, fundado, enquanto possibilidade

ôntica, na estrutura existencial-ontológica denominada por Heidegger como “ser-no-mundo-com-o-outro”.


Palavras-chave


Heidegger; psicoterapia; Rollo May; ser-no-mundo-com-o-outro

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.179

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC