Os modelos de senso-comum das cefaleias crónicas nos casais: Relação com o ajustamento marital

Maria João Figueiras, Vanda Araújo Machado, Nuno Correia Alves

Resumo


Este estudo investigou qual é a representação cognitiva das cefaleias em casais nos quais as mulheres apresentam um quadro de cefaleias crónicas e o impacto desta representação no ajustamento marital de ambos os membros do casal. Trinta e um casais completaram separadamente um questionário sobre percepção individual da doença, e ajustamento marital, em termos de consenso diádico e satisfação sexual. Os resultados indicam que: (1) existem diferenças significativas nas percepções individuais entre os dois membros do casal, (2) que as representações cognitivas das cefaleias de cada um dos cônjuges influenciam o ajustamento marital dos mesmos.

Embora os resultados sejam de carácter exploratório, parecem ter implicações importantes para a forma como pacientes e cônjuges percepcionam a experiência e a vivência da doença, respectivamente. Além disso, este tipo de abordagem do estudo das cefaleias crónicas pode contribuir para o delineamento de estratégias de adaptação à doença e melhoria da qualidade de vida em termos da relação do casal.


Palavras-chave


Modelos de senso-comum; percepção da doença; cefaleias crónicas; ajustamento marital

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC