Comportamento de mães de crianças hospitalizadas devido a queimaduras

Dora Bicho, António Pires

Resumo


Estudámos o comportamento maternal perante a situação de crianças hospitalizadas devido a queimaduras. Foram feitas entrevistas semi-estruturadas a quatro mães de crianças internadas na unidade de queimados do Hospital de Dona Estefânia. Os dados foram submetidos a análise e codificação de acordo com o método da Grounded Theory. Encontrámos uma preocupação maternal que parece assumir uma importância fundamental: a preocupação em conseguir minimizar o sofrimento emocional da criança durante todo o período de internamento hospitalar consequente às queimaduras. Dar apoio emocional e protecção parental são as formas de auxílio à criança que os pais conseguem pôr em prática.

A fim de amenizar as ansiedades e receios da criança, e transmitir-lhe a sensação de protecção e segurança, é utilizada como estratégia comum uma atitude de apoio parental permanente (de dia e de noite), sendo esta estratégia partilhada por ambos os pais da criança ou apenas por um deles. Os sentimentos de impotência e de dependência dos técnicos de saúde, a ansiedade em obter informação, e a ideia de que esta é a fase em que a criança corre mais riscos, são outros aspectos importantes.


Palavras-chave


Comportamento parental; mães; criança queimada; situação de risco; grounded theory

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.300

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC