Redes de apoio social em famílias multiculturais, acompanhadas no âmbito da intervenção precoce: Um estudo exploratório

Maria Teresa Brandão, Fátima Pereira Craveirinha

Resumo


A investigação em IP tem mostrado que a rede social e fundamental no apoio as famílias de crianças em idades baixas com problemas de desenvolvimento, tendo efeitos positivos no funcionamento pessoal, familiar, bem como no comportamento e desenvolvimento da criança. As famílias incluídas em minorias étnicas, nomeadamente imigrantes podem experimentar condições particularmente adversas, devido ao afastamento dos elementos da sua rede informal e dificuldades de ordem socio -cultural. Em Portugal, temos assistido a uma grande entrada de imigrantes o que torna a nossa realidade multicultural e faz com que muitas das crianças e famílias acompanhadas em programas de IP tenham origens culturais e étnicas diversas, tema muito pouco estudado. Realizamos um estudo exploratório com 42 mães (28 portuguesas e 14 dos PALOP) residentes no Concelho de Loures e apoiadas em Programas de Intervenção Precoce locais, tendo verificado que globalmente estas mães percepcionam as redes de apoio formal como mais disponíveis e uteis. As redes de apoio informal são significativamente menos uteis para as mães dos PALOP do que para as mães portuguesas. A intervenção precoce poderá pois desempenhar um papel crucial no apoio a este tipo de famílias colaborando na reestruturação e desenvolvimento da sua rede de apoio social no novo contexto sociocultural.

Palavras-chave


Apoio social; Diversidade cultural; PALOPs; Famílias de crianças com NEE; Redes formais e informais

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.37

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC