Guarda paterna e representações sociais de paternidade e maternidade

Elaine Novaes Vieira, Lídio de Souza

Resumo


Dentre as reflexões sobre a condição masculina observa-se a demanda por uma ‘nova paternidade’, baseada numa maior aproximação afectiva entre pai e filho, bem como no seu envolvimento nos cuidados diários com os filhos. Neste estudo objetivou-se investigar as representações sociais de paternidade e maternidade de homens separados, com a guarda dos filhos há pelo menos um ano e que constituíam famílias monoparentais. Foram entrevistados 11 homens com a utilização de um roteiro semiestruturado abordando: dados pessoais, RS de paternidade e maternidade, relacionamento conjugal, guarda, quotidiano e avaliações. Os dados foram analisados através do software Alceste e da Análise de Conteúdo.

Os elementos das RS de paternidade encontrados foram: Responsabilidade e Acompanhamento, Afectividade e Companheirismo, Orientação e Correção, Responsável pela Manutenção da Família, Equilíbrio e Igual à Maternidade. Já a maternidade é constituída pelos elementos Aspectos Biológicos, Estar Presente, Afectividade e Companheirismo, Igual à Paternidade, Superior à Paternidade, Não Abandonar os Filhos e Equilíbrio. Os dados apresentam RS tradicionais de paternidade (autoridade moral e financeira) e maternidade (aspectos biológicos, afectivos e superioridade materna) e, ao mesmo tempo, indicam a emergência de elementos que remetem à ‘nova paternidade’, como o pai envolvido afectivamente e cuidador e a maternidade como igual à paternidade.


Palavras-chave


Guarda paterna; Maternidade; Paternidade; Representação social

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.376

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC