Prevenção primária das toxicodependências: Avaliação de uma intervenção de grupo em crianças com idades entre os 8 e 9 anos

Maria da Graça Pereira, Paulo Moreira

Resumo


A investigação tem demonstrado que a prevenção primária na toxicodependência deverá considerar modelos multimodais. Vários programas de prevenção têm demonstrado ser eficazes nas variáveis comportamentais e cognitivas mas não nas variáveis afectivas. “Crescer a Brincar” é um programa derivado do Modelo Sócio-Afectivo (Negreiros de Carvalho, 1991), que procura trabalhar variáveis comportamentais, sociais eafectivas.

O presente artigo avalia a eficácia do referido programa junto de um grupo de 109 crianças. Os instrumentos utilizados, incluem o CABS (Michelson & Mood, 1982), que mede os estilos de comunicação, o CDI (Kovacs, 1981) que avalia os níveis de depressão, o SP (Harter, 1985) que mede o auto-conceito e finalmente “Sede de Viver”, instrumento criado especificamente para os objectivos do estudo e que avalia a tomada de decisão, assertividade e resistência à pressão dos pares.

O estudo da eficácia revela resultados significativos nas variáveis cognitivas e comportamentais entre o Grupo de Controlo e Experimental. Ao nível das variáveis afectivas (depressão e auto-conceito) só se registaram diferenças entre o Pré e o Pós-teste do Grupo Experimental.


Palavras-chave


Promoção da saúde; toxicodependência; intervenção em escolas primárias

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.392

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC