Sobre o choro: Análise de perspectivas teóricas

Ana Sofia Correia dos Santos

Resumo


O choro tem sido vastamente estudado como indicador de diagnóstico de desordens de foro neurológico. Contudo, os contributos dos teóricos preocupados com a interacção mãe-bebé sugerem, ainda que indirectamente, a importância desta manifestação – choro– no contexto da relação entre o bebé e uma figura privilegiada. Lebovici sublinha, aliás, a importância do choro neste contexto quando diz: «basta imaginar o que seria a tarefa dos pais na ausência dos gritos: eles deveriam então adivinhar quando o bebé tem fome, quando ele está sujo, e quais são as suas diversas necessidades e desconfortos.

Em definitivo, uma situação no primeiro contacto mais calma e menos ansiogénea, seria uma realidade mais preocupante, pois então ela constrangeria os pais a se interrogarem quase de maneira permanente sobre o estado do bebé.» (Lebovici, 1987). Esta reflexão eminentemente teórica, que desenvolvo, procura enquadrar o choro numa série de modelos teóricos diferentes e, a partir dessas abordagens, discutir a sua importância e função, no domínio da interacção mãe-bebé.


Palavras-chave


Choro; interacção mãe-bebé

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.403

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC