Aprender ortografia: O caso das sílabas complexas

Cristina Silva

Resumo


Este artigo pretende avaliar o efeito de dois programas de treino ortográfico centrados sobre a aprendizagem de sílabas complexas.

Os participantes foram 69 crianças do 2.º ano de escolaridade com dificuldades de aprendizagem em ortografia, os quais foram divididos em três grupos equivalentes em termos de inteligência e desempenho ortográfico. No pré e pós-teste foi ditada uma lista de 40 palavras que incluíam sílabas complexas CVC e CCV. O Grupo Experimental 1 foi submetido a uma intervenção que incluía as seguintes tarefas: treino de segmentação fonémica; preenchimento de lacunas em palavras de um texto e produção textual baseado em imagens onde a escrita da história forçava à mobilização de palavras com sílabas complexas. O Grupo Experimental 2 foi submetido a uma intervenção que incluía o ensino das correspondências grafo-fonéticas e a cópia de palavras com sílabas complexas. O Grupo de Controlo realizou desenhos.

Os nossos resultados demonstraram que as crianças do Grupo Experimental 1 evoluíram significativamente mais no desempenho ortográfico do que as crianças do Grupo Experimental 2 e Grupo de Controlo. Não foram encontradas diferenças no desempenho ortográfico no pós-teste entre as crianças do Grupo Experimental 2 e do Grupo de Controlo.


Palavras-chave


Ortografia; consciência fonémica; dificuldades de aprendizagem

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.438

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC