Reminiscência enquanto ferramenta de trabalho com idosos: Vantagens e limitações

Daniela C. Gonçalves, Pedro B. Albuquerque, Inácio Martín

Resumo


O objectivo deste artigo é analisar a importância da reminiscência enquanto estratégia terapêutica junto de idosos. Explora-se o conceito de reminiscência tal como decorre no quotidiano e analisa-se o seu surgimento como estratégia de trabalho com idosos, considerando os seus principais âmbitos de intervenção, desde moldes preventivos, como a adaptação à institucionalização, até níveis remediativos, como a estimulação do funcionamento cognitivo em quadros demenciais. Por fim, listam-se aquelas que se consideram ser as principais limitações inerentes à Terapia de Reminiscência no trabalho com idosos, nomeadamente a ausência de modelos estruturados de intervenção e as lacunas referentes a estratégias intencionais de avaliação de eficácia dos mesmos. Apresentam-se algumas estratégias promotoras da eficácia da Terapia de Reminiscência.


Palavras-chave


Terapia de reminiscência; psicoterapia; idosos

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.479

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC