Género e violência conjugal: Uma relação cultural

Ana Rita Conde Dias, Carla Machado

Resumo


O presente artigo destaca a necessidade de atender às questões de género na análise do fenómeno da violência contra a mulher, considerando que a construção social do género é constitutiva da vivência cultural deste fenómeno. Partindo de uma breve revisão de como a diferença entre homens e mulheres tem sido abordada, da análise da forma como a noção de “género” tem sido conceptualizada e, com base na abordagem construcionista social, defende-se a sua natureza não só social mas também cultural.

Seguidamente, procede-se a uma análise do modo como a relação violência conjugal e género tem sido equacionada na comunidade científica e nas diferentes abordagens teóricas.

Face às controvérsias existentes, às limitações das várias abordagens e, partindo da conceptualização do género enquanto construção sócio-cultural, propomos uma abordagem cultural da relação violência/género. Sob esta abordagem, consideramos que a violência conjugal e o género não devem ser analisados isoladamente, mas que estão interligados, sendo o género uma parte integrante e constitutiva do enquadramento cultural do fenómeno da violência.


Palavras-chave


Construcionismo social; Cultura; Género; Violência conjugal

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.516

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC