Percepção do suporte organizacional em hospitais públicos: Estudo em enfermeiros

Maria Manuela Frederico-Pereira

Resumo


O interesse por estudar factores organizacionais que perspectivem compreender a intensidade e estabilidade da dedicação do indivíduo à organização, baseia-se no pressuposto da existência de uma associação desses factores a variáveis consideradas importantes para o aumento da eficácia e da produtividade organizacional. Os empregados constroem uma convicção relativa ao comportamento da organização para consigo e numa perspectiva social da troca, quando percebem um nível elevado de suporte organizacional sentem possivelmente uma obrigação de “recompensar” a organização.

O trabalho empírico centra-se na percepção de suporte organziacional de enfermeiros, analisando a relação entre algumas variáveis sócio-demográficas e profissionais e essa percepção. A amostra é constituída por 1027 enfermeiros de três unidades hospitalares do sector público administrativo.

A ‘percepção do suporte organizacional’ apresenta, numa escala de 1 a 5, um valor médio de 2.82±66, encontrando-se diferentes níveis nos três hospitais. Os enfermeiros com mais idade, com mais tempo na profissão e com mais tempo na instituição revelam melhor percepção de suporte organziacional. As enfermeiras percepcionam melhor suporte que os enfermeiros. Entre as categorias profissionais não se encontrou diferença estatisticamente significativa na percepção do suporte organizacional.


Palavras-chave


Enfermeiros; Hospitais; Percepção do suporte organizacional

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.532

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC