Envelhecer no concelho de Oeiras: Estudo numa população institucionalizada

Luísa Carrilho, Cátia Gameiro, André Ribeiro

Resumo


Com o aumento da esperança de vida e a diminuição do número de nascimentos é notório o envelhecimento da população portuguesa, que por isso, apresenta uma maior vulnerabilidade à violência. Este artigo constitui a síntese de um estudo exploratório-descritivo realizado em 30 lares de idosos de diferentes freguesias do concelho de Oeiras que teve como objetivos o despiste de quadros de depressão, dependência funcional e tipos de violência. A amostra incluiu 136 idosos, maioritariamente do sexo feminino e com idade superior a 80 anos, a quem foi efetuado um exame breve do estado mental e que não apresentaram défice cognitivo. Os resultados evidenciaram a presença de sintomatologia depressiva (65.4%) e significativa dependência funcional (58.8%). Embora a maioria dos idosos (86.0%) tenha referido gostar de residir na instituição 33.1% descreveram queixas de violência, relatando sobretudo situações de violência financeira (22.8%). Os autores consideram estes dados alarmantes, com enfoque na violência, sublinhando a necessidade de uma resposta multidisciplinar, no sentido de possibilitar a esta população um envelhecimento com segurança e bem-estar bio-psico-social.


Palavras-chave


idosos, institucionalização, depressão, dependência, violência

Texto Completo:

PDF

Referências


American Psychiatric Association (APA) (2002) DSM-IV-TR: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (1ª edição). Lisboa: Climepsi Editores.

Apóstolo, J. L. A., (2011). Instrumentos para avaliação em Geriatria. Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.

Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) (2012). Estatísticas APAV, Relatório Anual 2012. WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS.

Bogalho, O., Lima, M. P. & Ferreira-Alves, J. (2010). Maus-tratos e negligência a pessoas idosas: Identificação e Caracterização de casos no Serviço de Urgência de um Hospital central. Atas do VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia. Universidade do Minho.

Câmara Municipal de Oeiras (CMO) (2012). Carta Social do Concelho de Oeiras. Oeiras: CMO.

Câmara Municipal de Oeiras (CMO) (2013). PEMPI - Plano Estratégico Municipal para as Pessoas Idosas: 2013-2015. Oeiras: CMO.

Carrilho, L., Gameiro, C., Pereira, A. & Espanca, M. (2012). Envelhecer com qualidade: Estudo de Rastreio em Idosos Institucionalizados. Anais do Clube Militar Naval CXLII -2, Tomos 7 a 12 (Julho-Dezembro): 383-399.

Carvalho, P. & Dias, O. (2011). Adaptação dos Idosos Institucionalizados. Millenium, 40: 161-184.

Daly, J. M., Merchant, M. L. & Jogerst, G. J. (2011). Elder Abuse Research: A Systematic Review. Journal of Elder Abuse & Neglect, 23 (4): 348-365.

Dias, I. (2005). Envelhecimento e violência contra idosos. Revista da Faculdade de Letras: Sociologia, 15: 249-274.

Ferreira-Alves, J. & Novo, R. (2006). International Journal of Clinical and Health Psychology, 6(1): 65-77.

Giro, A. & Paúl, C. (2013). Envelhecimento Sensorial, Declínio Cognitivo e Qualidade de Vida no Idoso com Demência. Atas de Gerontologia, 1 (1): 1-10.

Gil, A. P. & Santos, A. J. (2012). Simbologias em torno do processo de envelhecer e da vitimação: um estudo qualitativo. Sociologia, Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Número temático: Envelhecimento demográfico: 151-175.

Grupo de Estudos de Envelhecimento Cerebral e Demências (GEECD), (2008). Escalas e testes na demência (2.ª ed.). Lisboa: Novartis.

Harbison, J., Coughlan, S., Beaulieu, M., Karabanow, J., VanderPlaat, M., Wildeman, S. et al. (2012): Understanding “Elder Abuse and Neglect”: A Critique of Assumptions Underpinning Responses to the Mistreatment and Neglect of Older People, Journal of Elder Abuse & Neglect, 24(2): pp. 88-103.

Instituto Nacional de Estatística (INE) (2012). Censos 2011: Resultados Definitivos - Região de Lisboa. Lisboa: INE.

Lowenstein, A. (2009): Elder Abuse and Neglect —“Old Phenomenon”: New Directions for Research, Legislation, and Service Developments. Journal of Elder Abuse & Neglect, 21 (3): 278-287.

Maurício, I. (2010). O envelhecimento ativo/depressão em pessoas idosas: que intervenção nos cuidados de saúde primários em Portugal? Revista do Serviço de Psiquiatria do Hospital Fernando da Fonseca, 8 (1/2): 55-65.

Organização Mundial de Saúde (OMS) (2002). Relatório Mundial de Saúde 2001 - Saúde mental: nova conceção, nova esperança. Lisboa. Direção Geral de Saúde.

Paúl, C., & Fonseca, A.M., Martin, I., & Amado, J. (2005). Satisfação e qualidade de vida em idosos portugueses. In Paúl, C., & Fonseca, A.M. Envelhecer em Portugal: Psicologia, Saúde e Prestação de Cuidados (77-98). Lisboa: Climepsi.

Pires, S. (2009). Violência sobre idosos. Câmara Municipal da Amadora/Gabinete de Ação Social.

Salgueiro, H. D. (2007). Determinantes psicossociais da depressão no idoso. Nursing, 222.

Schmeidel, A. N., Daly, J. M., Rosenbaum, M. E. & Schmuh, G. A. (2012). Healthcare Professionals’ Perspectives on Barriers to Elder Abuse Detection and Reporting in Primary Care Settings. Journal of Elder Abuse and Neglect, 24(1): 17-36.

Sibbald, B. & Holroyd-Leduc, J. M. (2012). Protecting our most vulnerable elders from abuse. Canadian Medical Asociation Journal, 184 (16): 1763.

Sousa, L. Galante, H. & Figueiredo, D. (2003). Qualidade de vida e bem-estar dos idosos: um estudo exploratório na população portuguesa. Revista de Saúde Pública, 37 (3): 364-71.

Teixeira, I. N. O. & Neri, A.L. (2008). Envelhecimento bem-sucedido: uma meta no curso da vida. Psicologia USP, 19 (1): 81-94.

Vergueiro, M. E. & Lima, M. P. (2010). O Ageism e os Maus-tratos Contra a Pessoa Idosa. Atas do VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia. Universidade do Minho.




DOI: https://doi.org/10.14417/ap.736

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons 'CC BY-NC '