Contributo de fatores individuais, sociais e ambientais para a decisão de prosseguir uma gravidez não planeada na adolescência: Um estudo caracterizador da realidade portuguesa

Raquel Pires, Joana Pereira, Anabela Araújo Pedrosa, Duarte Vilar, Lisa Vicente, Maria Cristina Canavarro

Resumo


Resumo

Foi nosso objetivo explorar o contributo simultâneo de fatores individuais, sociais e ambientais e das possíveis interações entre eles para a decisão de prosseguir uma gravidez adolescente à luz do atual quadro legislativo que despenaliza a interrupção da gravidez por opção da mulher, em Portugal. A amostra foi constituída por 276 adolescentes que engravidaram de forma não planeada e contactaram com os serviços de saúde dentro do prazo legal que lhes permitiria optar pela interrupção: 133 adolescentes que prosseguiram a gravidez e 143 que a interromperam. Os dados foram recolhidos entre 2008 e 2013 em 53 serviços de saúde de todas as regiões. Não ter ponderado as duas alternativas possíveis (prosseguimento/interrupção), pertencer a famílias de baixo nível socioeconómico e com história de maternidade adolescente, ter abandonado a escola e residir em áreas com maior densidade populacional e onde a população feminina é menos escolarizada foram fatores explicativos do prosseguimento da gravidez. A menor idade da adolescente associou-se com o prosseguimento apenas quando não foram ponderadas ambas as alternativas. O efeito da religiosidade local variou de acordo com o envolvimento religioso da adolescente. Estes resultados têm importantes implicações para a prática clínica e investigação na área da decisão reprodutiva na adolescência.

Abstract

The aim of the current study was to explore the simultaneous contribution of individual, social, and environmental factors, as well as the possible interactions between them to the decision to continue an adolescent pregnancy after the abortion on women´s demand has been legalized in Portugal. The sample consisted of 276 adolescents who became unintentionally pregnant and contacted with healthcare services within the legal period for induced abortion: 133 adolescents who chose to continue the pregnancy and 143 who chose to terminate the pregnancy. Data were collected between 2008 and 2013, in 53 healthcare centers of all country areas. Not having thought about both available options (i.e., continuing vs. terminating the pregnancy), belonging to families of low socioeconomic status and with adolescent pregnancy history, having dropped out of school and having lived in areas with higher population density and less educated females predicted the decision to continue the pregnancy. The lower the adolescents’ age, the more frequent was the decision to continue the pregnancy, but only when adolescents’ had not thought about both options. The effect of local religiosity differed according to the adolescents’ religious involvement. These findings have important implications for clinical practice and research on adolescents’ reproductive decisions.


Palavras-chave


gravidez na adolescência; decisão reprodutiva; maternidade; interrupção voluntária da gravidez

Texto Completo:

PDF

Referências


Referências

Adamczyk, A. (2008). The effects of religious contextual norms, structural constraints, and personal religiosity on abortion decisions. Social Science Research, 37, 657-672. doi:10.1016/j.ssresearch.2007.09.003

Aiken, L., & West, S. (1991). Multiple regression: Testing and interpreting interactions. Thousand Oaks: Sage Publications.

Araújo Pedrosa, A. (2009). Gravidez e transição para a maternidade na adolescência: Determinantes individuais e psicossociais da ocorrência de gravidez e da adaptação. Estudo com adolescentes da Região Autónoma dos Açores (Dissertação de doutoramento não publicada). Universidade de Coimbra, Coimbra.

Araújo Pedrosa, A., Canavarro, M. C., & Pereira, M. (2003). Entrevista de avaliação clínica da Consulta de Acompanhamento Psicológico para as utentes da Consulta de Gravidez Adolescente da Maternidade Doutor Daniel de Matos, HUC. Manuscrito não publicado.

Araújo Pedrosa, A., Pires, R., Carvalho, P., Canavarro, M. C., & Dattilio, F. M. (2011). Ecological contexts in adolescent pregnancy: The role of individual, sociodemographic, familial and relational variables in understanding risk of occurrence and adjustment patterns. Contemporary Family Therapy, 33, 107-127. doi:10.1007/s10591-011-9148-4

Bailey, P. E., Bruno, Z. V., Bezerra, M. F., Queiroz, I., Oliveira, C. M., & Chen-mok, M. (2001). Adolescent pregnancy 1 year later: The effects of abortion vs. motherhood in Northeast Brazil. Journal of Adolescent Health, 29, 223-232. doi:10.1016/j.brat.2003.08.00

Baltes, P. B., Reese, H. W., & Nesselroade, J. R. (1988). Introduction to research methods: Life-span developmental psychology. Hillsdale, NJ: Erlbaum.

Black, M. M., Papas, M. A., Hussey, J. M., Dumbowitz, H., Kotch, J. B., & Starr, R. H. (2002). Behavior problems among preschool children born to adolescent mothers: Effects of maternal depression and perceptions of partner relationships. Journal of Clinical Child and Adolescent Psychology, 31, 16-26. doi:10.1207/S15374424JCCP3101_04

Bradshaw, J., Finch, N., & Miles, J. N. V. (2005). Deprivation and variations in teenage conceptions and abortions in England. Journal of Family Planning and Reproductive Health Care, 31, 15–19. doi:10.1783/0000000052973022

Brien, J., & Fairbairn, I. (1996). Pregnancy and abortion counseling. London: Routledge.

Bronfenbrenner, U. (1979). The ecology of human development: Experiments by nature and design. Cambridge: Harvard University Press.

Bronfenbrenner, U., & Morris, P. A. (1998). The ecology of developmental processes. In W. Damon, & R. M. Lerner (Eds.), Handbook of child psychology: Theoretical models of human development (pp. 993-1028). New York: John Wiley.

Canário, A. C. M. (2009). Aspetos éticos e psicológicos do abortamento no casal (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade do Porto, Porto.

Canavarro, M. C., & Pereira, A. I. (2001). Gravidez e maternidade da adolescência: Perspectivas teóricas. In M. C. Canavarro (Ed.), Psicologia da gravidez e maternidade (pp. 323-357). Coimbra: Quarteto.

Cohen, J. (1992). A power primer. Psychological Bulletin, 112, 155-159. doi:10.1037/0033-2909.112.1.155

Coleman, P. K. (2006). Resolution of unwanted pregnancy during adolescence through abortion versus childbirth: Individual and family predictors and psychological consequences. Journal of Youth and Adolescence, 35, 903-911. doi:10.1007/s10964-006-9094-x

Direção-Geral da Saúde (2009). Relatório dos registos das interrupções da gravidez ao abrigo da lei 16/2007 de 17 de abril: Dados referentes ao período de janeiro a dezembro de 2008. Lisboa: Edição do autor.

Direção-Geral da Saúde (2011). Relatório dos registos das interrupções da gravidez ao abrigo da lei 16/2007, de 17 de abril: Dados referentes ao período de janeiro a dezembro de 2010. Lisboa: Edição do autor.

Direção-Geral da Saúde (2013). Relatório dos registos das interrupções da gravidez ao abrigo da lei 16/2007, de 17 de abril: Dados referentes ao período de janeiro a dezembro de 2011 – edição revista. Lisboa: Edição do autor.

Eisen, M., Zellman, G. L., Leibowitz, A., Chow, W. K., & Evans, J. R. (1983). Factors discriminating pregnancy resolution decisions of unmarried adolescents. Genetic Psychology Monographs, 108, 69-95.

Evans, A. (2001). Motherhood or abortion: Pregnancy resolution decisions of Australian teenagers (Dissertação de doutoramento não publicada). Universidade Nacional da Austrália, Camberra, Austrália.

Field, A. (2009). Discovering statistics using SPSS (3nd ed.). London: Sage Publications.

Figueiredo, B., Pacheco, A., & Magarinho, R. (2004). Utentes da consulta externa de grávidas adolescentes da Maternidade Júlio Dinis entre os anos de 2000 e 2003. Análise Psicológica, XXII, 551-570.

Frazier, P. A., Tix, A. P., & Barron, K. E. (2004). Testing moderator and mediator effects in counseling psychology research. Journal of Counseling Psychology, 51, 115-134. doi:10.1037/0022-0167.51.1.115

Guedes, M. (2008). Interrupção voluntária da gravidez: Influência de aspectos individuais e relacionais no ajustamento psicológico à decisão e à experiência de interrupção (Dissertação de mestrado integrado não publicada). Universidade de Coimbra, Coimbra.

Halpern-Felsher, B. L., & Cauffman, E. (2001). Costs and benefits of a decision: Decision-making competence in adolescents and adults. Applied Developmental Psychology, 22, 257-273. doi:10.1016/S0193-3973(01)00083-1

Henshaw, S. K., & Kost, K. (1992). Parental involvement in minors’ abortion decisions. Family Planning Prospectives, 24, 196-208. doi:10.2307/2135870

Instituto Nacional de Estatística (2012). Reorganização administrativa territorial autárquica: Informação geográfica - conceitos e definições. Lisboa: Edição do autor.

Kashan, A. S., Baker, P. N., & Kenny, L. C. (2010). Preterm birth and reduced birth weight in first and second teenage pregnancies: A register-based cohort study. British Medical Journal of Pregnancy and Childbirth, 10, 36-44. doi:10.1186/1471-2393-10-36

Klaczynski, P. A., Byrnes, J. P., & Jacobs, J. (2001). Introduction to the special issue: The development of decision making. Applied Developmental Psychology, 34, 175-187. doi:10.1016/S0193-3973(01)00081-8

Lee, E., Clements, S., Ingham, R., & Stone, N. (2004). A matter of choice? Explaining national variation in teenage abortion and motherhood. York: Joseph Rowntree Foundation.

Logan, C., Holcombe, E., Manlove, J., & Ryan, S. (2007). The consequences of unintended childbearing: A white paper. Washington, DC: Child Trends, and the National Campaign to Prevent Teen and Unplanned Pregnancy.

Madkour, A. S., Xie, Y., & Harville, E. W. (2013). The association between pregnancy parental support and control and adolescent girls’ pregnancy resolution decisions. Journal of Adolescent Health, 53, 413-419. doi:10.1016/j.jadohealth.2013.04.016

Milan, S., Ickovics, J. R., Kershaw, T., Lewis, J., Meade, C., & Ethier, K. (2004). Prevalence, course, and predictors of emotional distress in pregnant and parenting adolescents. Journal of Consulting and Clinical Psychology, 2, 328–340. doi:10.1037/0022-006X.72.2.328

Miller, B., & Moore, K. (1990). Adolescent sexual behavior, pregnancy and parenting: Research through the 1980s. Journal of Marriage and the Family, 52, 1025-1044. doi:10.2307/353317

Mufel, N., Speckhard, A., & Sivuha, S. (2002). Predictors of posttraumatic stress disorder following abortion in a former Soviet Union Country. Journal of Prenatal and Perinatal Psychology and Health, 17(1), 41-61.

Murry, V. M. (1995). An ecological analysis of pregnancy resolution decisions among African American and Hispanic adolescent females. Youth & Society, 26, 325-350. doi:10.1177/0044118X95026003003

Ourô, A. M., & Leal, I. P. (1998). O ventre sacia-se, os olhos não: O suporte social em adolescentes que prosseguiram a gravidez e mulheres que recorreram à interrupção voluntária da gravidez na adolescência. Análise Psicológica, XVI, 441-446.

Pereira, J., Pires, R., & Canavarro, M. C. (2013). Interrupção voluntária da gravidez: Ajustamento psicológico numa amostra de jovens portuguesas. Psicologia, Saúde & Doenças, 14(2), 329-338.

Peres, S. O., & Heilborn, M. L. (2006). Cogitação e prática do aborto entre jovens em contexto de interdição legal: O avesso da gravidez na adolescência. Cadernos de Saúde Pública, 22, 1411-1420.

Pestana, M. H., & Gageiro, J. N. (2009). Análise categórica, árvores de decisão e análise de conteúdo. Lisboa: Lidel.

Pimenta, E. (2010). Causas e consequências do abortamento induzido (Dissertação de mestrado integrado não publicada). Universidade do Porto, Porto.

Pires, R. S. A. (2009). Contributo para a compreensão da etiologia e impacto da gravidez na adolescência: A influência de variáveis sociodemográficas e de variáveis relacionais, passadas e presentes, no ajustamento socioemocional de um grupo de grávidas adolescentes (Dissertação de mestrado integrado não publicada). Univeridade de Coimbra, Coimbra.

Pires, R., Araújo Pedrosa, A., & Canavarro, M. C. (2013). Examining the links between perceived pregnancy impact, depression, and quality of life during adolescent pregnancy: The buffering role of social support. Maternal and Child Health Journal. Advance online publication. doi:10.1007/s10995-013-1303-0

Pires, R., Pereira, J., Araújo Pedrosa, A., & Canavarro, M. C. (2013). Maternidade adolescente: Escolha, aceitação ou resignação? Psicologia, Saúde & Doenças, 14, 339-347.

Poggenpoel, M., & Myburgh, C. P. H. (2002). The developmental implications of a termination of pregnancy on adolescents with reference to the girl and her partner. Education, 122(4), 731-741.

PORDATA. (2013a). Casamentos entre pessoas do sexo oposto: Total e por forma de celebração - Municípios. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

PORDATA. (2013b). Nados-vivos de mães residentes em Portugal: Total e por grupo etário da mãe – Municípios. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

PORDATA. (2013c). Nados-vivos fora do casamento, com coabitação e sem coabitação dos pais (%) nos Municípios. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

PORDATA. (2013d). População residente do sexo feminino com 15 e mais anos por nível de escolaridade completo mais elevado segundo os Censos (%) nos Municípios. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

PORDATA. (2013e). Proporção de poder de compra nos Municípios. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Santos, N. (2010). Interrupção voluntária da gravidez, satisfação conjugal e apoio social: Que impacto? (Dissertação de mestrado integrado não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa.

Silva, M. O. da (1992). A gravidez na adolescência: Relevância clínica da intervenção pré-natal (Dissertação de doutoramento não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa.

Simões, M. R. (1994). Investigações no âmbito da aferição nacional do teste das Matrizes Progressivas de Raven (Dissertação de doutoramento não publicada). Universidade de Coimbra, Coimbra.

Soares, I. & Jongenelen I. (1998). Maternidade na adolescência: Contributos para uma abordagem desenvolvimental. Análise Psicológica, 3, 373-384.

Stotland, N. L. (1996). Conceptions and misconceptions: Decisions about pregnancy. General Hospital Psychiatry, 18, 238-243. doi:10.1016/0163-8343(96)00043-6

United Nations Population Fund. (2013). The state of world population 2012: Motherhood in childhood - Facing the challenge of adolescent pregnancy. New York: Edição do autor.

World Health Organization. (1975). Pregnancy and abortion in adolescence: Technical Report Series nº583. Geneva: Edição do autor.

Zabin, L. S., & Hayward, S. C. (1993). Adolescent sexual behavior and childbearing. Newbury Park, CA: Sage.




DOI: https://doi.org/10.14417/ap.827

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC