Comunicação com o/a parceiro/a sexual, auto-eficácia contracetiva e satisfação sexual

Alice Pereira, Marisalva Fávero, Maria Adelina Barbosa-Ducharne, Ana Isabel Almeida, Catarina Figueiredo

Resumo


A satisfação sexual tem sido relacionada com a comunicação com o/a parceiro/a e com o sentido de auto-eficácia. Este estudo pretende explorar diferenças entre homens e mulheres a nível da satisfação sexual, comunicação com um/a novo/a parceiro/a e autoeficácia contracetiva, e as relações evidenciadas entre elas. Participaram 537 universitários (271 homens e 266 mulheres), dos 18 aos 25 anos e sexualmente ativos. Utilizou-se as versões portuguesas das escalas Golombok Rust Inventory of Sexual Satisfaction - GRISS, Health Protective Sexual Comunication Scale, e Contaceptive Self-Efficacy. Verificou-se que as mulheres apresentam maior capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a e maior auto-eficácia contracetiva, sem diferenças entre os sexos na satisfação sexual. A auto-eficácia associa-se positivamente à satisfação sexual, mas de modo diferencial nos dois sexos. A eficácia contracetiva e a capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a estão também positivamente associadas, mas apenas nas mulheres.


Palavras-chave


comunicação com parceiro sexual; auto-eficácia contracetiva; satisfação sexual.

Referências


Basen-Engquist, K. & Parcel, G.S. (1992). Attitudes, norms, and self-efficacy: A model of adolescents’ HIV-related sexual risk behavior. Health Education, Quarterly, 19 (2), 263-277.

Byers, E.S. (2005). Relationship satisfaction and sexual satisfaction: A longitudinal study of individuals in long-term relationships. Journal of Sex Research, 42(2), 113-118. doi: 10.1080/00224490509552264

Cardoso, A.F.P. (1999). Prevenção primária da SIDA em jovens. Avaliação de um projecto de prevenção: conhecimentos, comportamentos e atitudes. Tese de Mestrado (Não publicada), Universidade do Porto, Porto.

Catania, J.A. (1998). Health Protective Sexual Communication Scale. In C. Davis, W. Yarber, & S. Davis (Eds.). Handbook of sexuality-related measures (pp. 544-547). Thousand Oaks, CA: Sage.

Catania, J.A., Coates, T.Y, Kegeles, S.M., Ekstrand, M., Guydish, J.R. & Bye, L.L. (1989). Implications of the AIDS Risk Reduction Model for gay community: The importance of perceived sexual enjoyment and help-seeking behaviours. In V. Mays; G.W. Albee & S. F. Schneider (Eds.). Primary prevention of AIDS: Psychological approaches (pp. 224-261). Newbury Park: Sage.

Cozby, P.C. (2003). Método de pesquisa em ciências do comportamento. São Paulo: Atlas.

Dias, A. C. & Gomes, W. (2000). Conversas, em família, sobre sexualidade e gravidez na adolescência: percepção das jovens gestantes. Psicologia Reflexão e Crítica, 3, (1), 109-125. doi: 10.1590/S0102-79722000000100013

Figueiredo, P. M. (2005). A influência do locus de controlo conjugal, das habilidades sociais conjugais e da comunicação conjugal na satisfação com o casamento. Ciências e Cognição, 6, 123-132.

Higgins, J.A., Mullinax, M., Trussell, J., Davidson, S.J.K., & Moore, N.B. (2011). Sexual satisfaction and sexual health among university students in the united states. American Journal of Public Health, 101(9), 1643-1654. doi: 10.2105/AJPH.2011.300154.

Holmberg, D., & Blair, K.L. (2009). Sexual desire, communication, satisfaction and preferences of men and women in same-sex versus mixed sex relationships. Journal of Sex Research, 46(1), 57-66. doi: 10.1080/00224490802645294

Holmberg, D., Blair, K.L., & Phillips, M. (2010). Women's sexual satisfaction as a predictor of well-being in same-sex versus mixed-sex relationships. Journal of Sex Research, 47(1), 1-11. doi: 10.1080/00224490902898710

Levinson, R.A. (1998). Contraceptive Self-Efficacy. In C. Davis, W. Yarber, & S. Davis (Eds.). Handbook of sexuality-related measures (pp. 166-167). Thousand Oaks, CA: Sage.

Levinson, R.A., Wan, C.K. LuAnn J. Beamer, L.J. (1998). The contraceptive self-efficacy scale: analysis in four samples. Journal of Youth and Adolescence, 27 (6), 773-793. doi: 10.1023/A:1022865900546

López, F. & Fuertes, A. (1999). Para compreender a sexualidade. Lisboa: APF.

Manlove, J., Welti, K., Barry, M., Peterson, Schelar, E., & Wildsmith, E. (2011). Relationship characteristics and contraceptive use among young adults. Perspectives on Sexual and Reproductive Health, 43 (2), 119-128. doi: 10.1363/4311911

Pascoal, P. (2012). Contributo de variáveis individuais e relacionais para a satisfação sexual de pessoas em relação de conjugalidade com e sem problemas sexuais. Tese de doutorado (não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa.

Pechorro, P., Diniz, A., & Vieira, R. (2009). Satisfação sexual feminina: Relação com funcionamento sexual e comportamentos sexuais. Análise Psicológica, 27 (1), 99-108.

Roque, (2001). Semiótica da cegonha: jovens, sexualidade e risco de gravidez não desejada. Lisboa: APF.

Rust, J., & Golombok, S. (1986). The GRISS: A psychometric instrument for the assessment of sexual dysfunction. Archives of Sexual Behavior, 15 (2), 157- 165. doi:10.1007/BF01542223

Smith, A., Lyons, A., Ferris, J., Richters, J., Pitts, M., Shelley, J. & Simpson, J. M., (2011). Sexual and relationship satisfaction among heterosexual men and women: The importance of desired frequency of sex. Journal of Sex & Marital Therapy, 37(2), 104-115. doi: 10.1080/0092623X.2011.560531.

Timm, T. M. & Keiley, M. K. (2011). The effects of differentiation of self, adult attachment, and sexual communication on sexual and marital satisfaction: a path analysis. Journal of Sex & Marital Therapy, 37, 206–223. doi: 10.1080/0092623X.2011.564513

Træen, B. (2010). Sexual dissatisfaction among heterosexual Norwegians in couple relationships. Sexual and Relationship Therapy, 25 (2),132-147. doi: 10.1080/14681991003622518

Vilarinho, S. (2010). Funcionamento e satisfação sexual feminina: integração do afecto, variáveis cognitivas e relacionais, aspectos biológicos e contextuais. Tese de doutorado (não publicada), Universidade de Coimbra, Coimbra.

Vilarinho, S. M., & Nobre, P. J. (2006). Tradução e adaptação para a população portuguesa da versão masculina, do Golombok-Rust Inventory of Sexual Satisfaction (GRISS; Rust & Golombok, 1986).

Widman, L., Welsh, D. P., McNulty, J. K & Little, K. C. (2006). Sexual Communication and contraceptive use in adolescent dating couples. Journal of Adolescent Health, 39, 893-899. doi: 10.1016/j.jadohealth.2006.06.003

Woloski-Wruble, A. C., Oliel, Y., Leefsma, M., & Hochner-Celnikier, D. (2010). Sexual activities, sexual and life satisfaction, and successful aging in women. Sexual Medicine, 7, 2401-2410. doi: 10.1111/j.1743-6109.2010.01747


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISBN (in print): 0870-8231 | ISBN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | Portal otimizado para Internet Explorer 10, Firefox 32+, Chrome 37+ e Safari 5+.