Práticas de literacia familiar, competências linguísticas e desempenho em leitura no primeiro ano de escolaridade

Liliana Salvador, Margarida Alves Martins

Resumo


Pretendemos com este estudo não só analisar de que forma as práticas de literacia familiar e determinadas variáveis linguísticas podem estar relacionadas com o desempenho em leitura como também perceber quais as práticas e/ou variáveis que melhor predizem a sua aprendizagem. Participaram neste estudo 74 crianças a frequentar o 1º ano do Ensino Básico de várias escolas da região de Lisboa. Os dados foram recolhidos no final do 1º período (consciência fonológica, conhecimento das letras, leitura de palavras e Questionário de Práticas de Literacia Familiar) e no final do 3º período (leitura de palavras). Foram analisadas as diferentes práticas de literacia familiar – treino, rotinas e entretenimento – e a sua relação com os resultados de leitura no final do ano. A mesma análise foi realizada para as variáveis linguísticas. Posteriormente, foi realizada uma análise de regressão, tendo como variável dependente a leitura de palavras final e como variáveis independentes as variáveis linguísticas e as práticas de literacia familiar. Os resultados obtidos mostram que as práticas de literacia familiar estão moderadamente relacionadas com a leitura e fortemente relacionadas com as variáveis linguísticas. Os melhores preditores de leitura no final do ano são o conhecimento das letras e a leitura de palavras inicial.

Palavras-chave


Literacia familiar, Leitura, Competências linguísticas, 1º ano

Referências


Adams, M. (1998). Beginning to read: Thinking and learning about print (2nd ed.). Cambridge, MA: MIT Press.

Alves Martins, M. (2000). Pré-história da aprendizagem da leitura e da escrita (2ª ed.) Lisboa: ISPA.

Alves Martins, M., & Silva, C. (2001). Letter names, phonological awareness and the phonetization of writing. European Journal of Psychology of Education, 16 (4), 605-617.

Bowey, J. A. (2005). Predicting individual differences in learning to read. In Margaret J. Snowling and Charles Hulme (Ed.), The science of reading: A handbook (pp. 155-172) Oxford, UK: Blackwell.

Cunningham, A., & Carroll, J. M. (2011). Reading-related skills in earlier and later schooled children. Scientific Studies of Reading, 15(3), 244-266.

Caravolas, M., Lervåg, A., Mousikou, P., Efrim, C., & Litavsky, M. (2012). Common patterns of prediction of litteracy development in different alphabetic ortographies. Psychological Science. 23(6), 678- 686.

Cardoso-Martins, C., & Batista, A. (2005). O conhecimento do nome das letras e o desenvolvimento da escrita: Evidência de crianças falantes do português. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18 (3), 330-336.

Cardoso-Martins, C., Resende, S., & Rodrigues, L. (2002). Letter name knowledge and the ability to learn to read by processing letter-phoneme relations in words: Evidence from Brazilian Portuguese-speaking children. Reading and Writing, 15, 409-432.

Downing, J. (1987). A influência da escola na aprendizagem da leitura In E. Ferreiro (Ed.) Os processos de leitura e escrita (pp. 182-194). Porto Alegre: Artes Médicas.

Goodman, Y. (1987b). O desenvolvimento da escrita em crianças muito pequenas. In E. Ferreiro & M. Palácio (Eds.), Os processos de leitura e escrita (p. 85-101). Porto Alegre: Artes Médicas.

Goswami, U., & Bryant, P. (1990) Phonological skills and learning to read. Hove: Lawrence Erlbaum Associates Publishers.

Hammer, C. S., Farkas, G., & Maczuga, S. (2010). The Language and Literacy Development of Head Start Children: A Study Using the Family and Child Experiences Survey Database. Language, Speech, and Hearing Services in Schools, 41, 70-83.

Hannon, P. (1999). Rhetoric and Research in Family Literacy. British Educational Research Journal, 26 (1), 121-138.

Hulme, C., Bowyer-Crane, C., Carroll, J. M., Duff, F., & Snowling, M. J. (2012). The causal role of phoneme awareness and letter-sound knowledge in learning to read: combining intervention studies with mediation analyses. Psychological Science, 23, 572 – 577.

Kamii, C., & Manning, M. (2002). Phonemic awareness and beginning reading and writing. Journal of Research in Childhood Education, 17 (1), 38-46.

Mata, L. & Pacheco, P. (2009). Caracterização das práticas de literacia familiar. In. B. Silva, L. Almeida, A. Lozano, & Uzquiano (Eds.), Actas do X Congresso Galaico Português de Psicopedagogia. (pp. 1741-1753). Braga: Universidade do Minho.

Melhuish, E.C., Phan, M.B., Sylva, K., Sammons, P., Siraj-Blatchford, I., & Taggart, B. (2008). Effects of the Home Learning Environment and Preschool Center Experience upon Literacy and Numeracy Development in Early Primary School. Journal of Social Issues, 64(1), 95-114.

Pontecorvo, C., & Fabretti, D. (2003). Aprender un sistema de escritura, aprender una lengua. In C. Pontecorvo (Coord.) Manual de psicología de la education (pp. 160-203). Madrid: Editorial Popular.

Richgels, D. (1986). Beginning first graders’ “invented spelling” ability and their performance in functional classroom writing activities. Early Childhood Research Quarterly, 1, 85-97.

Sénéchal, M. & LeFevre, J. (2001). Storybook reading and parent teaching: Links to language and literacy development. In P. Britto & J. Brooks-Gunn (Eds.) New Directions for Child and Adolescent development (Vol.92). The role of family literacy environments in promoting young children’s emerging literacy skills (pp. 39-52). SanFrancisco: Jossey Bass.

Silva, A. C. (2003). Até à descoberta do princípio alfabético. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Sim-Sim, I. (2006). Avaliação da linguagem oral: Um contributo para o conhecimento do desenvolvimento linguístico das crianças portuguesas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Sucena, A., & Castro, S. L. (2011). ALEPE: Bateria de Avaliação da Leitura em Português Europeu. Lisboa: CEGOC-TEA.

Treiman, R. (2004). Phonology and spelling. In T. Nunes, & P. Bryant, Handbook of children’s literacy (pp. 31-42). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISBN (in print): 0870-8231 | ISBN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | Portal otimizado para Internet Explorer 10, Firefox 32+, Chrome 37+ e Safari 5+.