Representações sociais do VIH/SIDA para adolescentes: Uma abordagem estrutural

Jefferson Luiz de Cerqueira Castro, José Victor de Oliveira Santos, Ludgleydson Fernandes de Araújo, André Faro, Ana Paula Porto da Rocha, Sara Teles Reis

Resumo


A presente investigação teve como propósito apreender e analisar as representações sociais de adolescentes no que diz respeito ao VIH e à SIDA no Brasil. A amostra foi formada por 576 adolescentes, com idade média de 15,67 anos (DP=1.66). Utilizou-se a técnica de associação livre de palavras, com as palavras indutoras “HIV” e “AIDS”, a qual foi investigada por meio da análise prototípica, com o apoio do software Iramuteq. Tal análise possibilita definir a estrutura de uma representação social a partir de evocações de palavras, o que permite observar o núcleo central e o sistema periférico da representação social. Entre os achados, salienta-se a definição da palavra “doença” como núcleo central e em seu contorno a definidora “morte” como primeira periferia, o que reforça a crença que o VIH/SIDA é uma doença fatal. Nas demais zonas do sistema periférico ressaltam-se aspectos ligados à afetividade, bem como conhecimentos sobre a disseminação e práticas preventivas. Desse modo, percebe-se que os respondentes possuem conhecimento a respeito das causas, tratamento e prevenção do VIH/SIDA, contudo há a necessidade de implementação de políticas públicas que levem em consideração esses conhecimentos, bem como os estimulem dentre os adolescentes.


Palavras-chave


VIH, SIDA, Representações Sociais, Adolescente.

Texto Completo:

PDF

Referências


Alencar, R. A., & Ciosak, S. I. (2016). Aids em idosos: Motivos que levam ao diagnóstico tardio. Revista Brasileira de Enfermagem, 69, 1140-1146.

Angelim, R. C. M., Pereira, V. M. A. O., Freire, D. d. A., Brandão, B. M. G. M., & Abrão, F. M. S. (2017). Representações sociais de estudantes de escolas públicas sobre as pessoas que vivem com HIV/AIDS. Saúde em Debate, 41(112), 221-229.

Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais. (2017). Boletim epidemiológico: AIDS e IST. Ministério da Saúde, 20, 1-64. Retirado de http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2017/boletim-epidemiologico-hivaids-2017

Brasil, L. S., Mitsui, R. E., Pereira, A. M. B., & Alves, R. N. (2000). Mudanças no comportamento sexual do adolescente decorrentes do surgimento da SIDA no contexto social. Análise Psicológica, XVIII, 465-483.

Bezerra, E. O., Pereira, M. L. D., Chaves, A. C. P., & Monteiro, P. V. (2015). Social representations of adolescents on sexual relations and the use of condoms. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36, 84-91.

Camargo, B. V., Barbará, A., & Bertoldo, R. B. (2007). Concepção pragmática e científica dos adolescentes sobre a AIDS. Psicologia em Estudo, 12, 277-284.

Camargo, B. V., & Justo, A. M. (2013). IRAMUTEQ: Um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, 21, 513-518.

Costa, T. L., Oliveira, D. C., Formozo, G. A., & Gomes, A. M. T. (2012). Persons living with AIDS in nurses’ social representations: Analysis of central, contranormative and attitudinal elements. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 20, 1091-1099.

Cunha, M. P., Oliveira, B. F. R., Oliveira, I. C. M., Praxedes, L. K. S., & Reis, A. A. S. (2016). Análise do conhecimento sobre DSTs/AIDS entre adolescentes em Goiânia, Goiás. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 14, 650-658. Retirado de http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i2.2856

Duque, S., Reis, A. C., Lencastre, L. Q., & Guerra, M. P. (2017). Satisfação com a vida em pessoas seropositivas ao vírus da SIDA. Análise Psicológica, XXXV, 297-308. Retirado de https://doi.org/10.14417/ap.1183

Furtado, F. M., Santos, J. A., Loredanna, S., Araujo, E., Saldanha, A. A., & Silva, J. (2016). 30 years later: Social representations about AIDS and sexual practices of rural towns residents [Special issue]. Revista Escola de Enfermagem – USP, 50, 74-80. Retrieved from https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000300011

Gaymard, S., & Cazenave, C. (2018). Thirty years on… the social representation of AIDS among French teenagers. Children and Youth Services Review, 84, 48-54. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.childyouth.2017.11.018

Hallal, R. C., Raxach, J. C., Barcellos, N. T., & Maksud, I. (2015). Strategies to prevent HIV transmission to serodiscordant couples. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18, 169-182. Retirado de https://doi.org/10.1590/1809-4503201500050013

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. (2016). Pesquisa nacional de saúde do escolar: 2015. Rio de Janeiro, Brasil: Autor.

Joint United Nations Programme on HIV/AIDS – UNAIDS. (2017). UNAIDS data 2017. Geneva: UNAIDS. Retrieved from http://www.unaids.org/en/resources/documents/2017/2017_data_book

Kuchenbecker, R. (2015). What is the benefit of the biomedical and behavioral interventions in preventing HIV transmission?. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18, 26-42. Retrieved from https://doi.org/10.1590/1809-4503201500050004

Labra, O. (2013). Social representations of HIV/AIDS in mass media: Some important lessons for caregivers. International Social Work, 58, 238-248. doi: 10.1177/0020872813497380

Leal, N. S. B., & Coêlho, A. E. L. (2016). Representações sociais da AIDS para estudantes de Psicologia. Fractal: Revista de Psicologia, 28, 9-16. Retirado de https://doi.org/10.1590/1984-0292/918

Mburu, G., Ram, M., Oxenham, D., Haamujompa, C., Iorpenda, K., & Ferguson, L. (2014). Responding to adolescents living with HIV in Zambia: A social-ecological approach. Children and Youth Services Review, 45, 9-17. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.childyouth.2014.03.033

Medeiros, D. C., Galvão, H. A., Melo, J. P., Medeiros, R. C. S. C., Silva, T. A. L., Medeiros, J. A., . . . Dantas, P. M. S. (2016). Somatótipo e imagem corporal em pessoas vivendo com Hiv/Aids. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 22, 54-58. Retirado de https://doi.org/10.1590/1517-869220162201137961

Melo, M. C., Ferraz, R. O., Nascimento, J. L., & Donalisio, M. R. (2016). Incidence and mortality of children and teenagers with AIDS: Challenges in the southern region of Brazil. Ciência & Saúde Coletiva, 21, 3889-3898. Retrieved from https://doi.org/10.1590/1413-812320152112.11262015

Natividade, J. C., & Camargo, B. V. (2012). Elementos da representação social da AIDS agrupados em dimensões: Uma técnica estrutural. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 28, 193-196.

Okumu, M., Mengo, C., Ombayo, B., & Small, E. (2017). Bullying and HIV risk among high school teenagers: The Mediating Role of Teen Dating Violence. Journal of School Health, 87, 743-750.

Oliveira, D. C. (2013). Construction and transformation of social representations of AIDS and implications for health care [Special issue]. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 21, 276-286.

Pereira, B. S., Costa, M. C. O., Amaral, M. T. R., Costa, H. S., Silva, C. A. L., & Sampaio, V. S. (2014). Fatores associados à infecção pelo HIV/AIDS entre adolescentes e adultos jovens matriculados em Centro de Testagem e Aconselhamento no Estado da Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 747-758. Retirado de https://doi.org/10.1590/1413-81232014193.16042013

Santos, M. P. (2013). A teoria das representações sociais como referencial didático-metodológico de pesquisa no campo das ciências humanas e sociais aplicadas. Emancipação, 13, 9-21. Retirado de https://doi.org/10.5212/Emancipacao.v.13i1.0001

Trigueiro, D. R., Almeida, S. A., Monroe, A. A., Costa, G. P., Bezerra, V. P., & Nogueira, J. A. (2016). AIDS and jail: Social representations of women in freedom deprivation situations. Revista Escola de Enfermagem – USP, 50, 554-561. Retirado de https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000500003

Wachelke, J., & Wolter, R. (2011). Critérios de construção e relato da análise prototípica para representações sociais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27, 521-526.

Winskell, K., Hill, E., & Obyerodhyambo, O. (2011). Comparing HIV-related symbolic stigma in six African countries: Social representations in young people’s narratives. Social Science & Medicine, 73, 1257-1265. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2011.07.007

Zamboni, M. B. (2015). AIDS, longa duração e o trabalho do tempo: Narrativas de homens que vivem com HIV há mais de 20 anos. Revista de Ciências Sociais, 42, 69-90. Retirado de http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/politicaetrabalho




DOI: https://doi.org/10.14417/ap.1492

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC