Vivências académicas e rendimento escolar: Estudo com alunos universitários do 1.º ano

Luísa Santos, Leandro S. Almeida

Resumo


Partindo de uma amostra de 456 alunos do primeiro ano da Universidade do Minho, analisam-se as dimensões da adaptação académica e o seu possível impacto no rendimento escolar dos estudantes. Os dados referentes à adaptação foram obtidos através da administração do Questionário de Vivências Académicas –QVA (Almeida & Ferreira, 1997), agrupando-se neste estudo as 17 subescalas do QVA nas dimensões pessoal, de realização académica e institucional. Para efeitos de avaliação do rendimento escolar foram recolhidos alguns indicadores referentes às avaliações destes alunos ao longo do ano lectivo de 1998/1999.

Os resultados apontam para uma correlação com significado estatístico entre a dimensão de realização da adaptação académica e os indicadores de rendimento tomados. O rendimento académico foi explicado entre 16% a 30% pelas subescalas do QVA. Tendencialmente as variáveis mais decisivas para o rendimento académico foram as respeitantes aos métodos de estudo, às bases de conhecimentos, à percepção de competências cognitivas e à adaptação ao curso.


Palavras-chave


Vivências académicas; rendimento escolar; alunos do primeiro ano da Universidade

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC