E se perguntássemos aos Sem-Abrigo? Satisfação e necessidades percepcionadas face aos serviços, num abrigo de Lisboa

Fernando Sousa, Sandra Almeida

Resumo


Efectuou-se um levantamento das necessidades, preferências, e níveis de satisfação de uma amostra de indivíduos Sem-Abrigo face a vários serviços sociais. De uma forma prospectiva, analisou-se ainda a influência de vários factores na utilização desses serviços. A recolha de dados realizou-se num abrigo da cidade de Lisboa junto de 16 indivíduos do sexo masculino através de uma observação participante, da utilização de um questionário, e da consulta de registos internos da instituição.

Os serviços indicados como sendo os mais necessários no último ano foram os relacionados com a obtenção de alimentação, vestuário, e abrigo, identificação e avaliação de necessidades, assistência médica (para problemas de saúde física), informação e protecção de direitos, emprego e cuidados dentários. A maior parte dos participantes considerou que a maioria dos serviços não iam ao encontro das suas necessidades. Consideraram ainda que os técnicos não se empenhavam o suficiente. Os resultados obtidos, apontam para a necessidade de desenvolver sistemas de apoio que se adaptem às necessidades, às especificidades e aos «ritmos» da população Sem-Abrigo.


Palavras-chave


Sem-Abrigo; necessidades; utilização dos serviços; satisfação com serviços

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.361

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - Instituto Universitário, 2012 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons 'CC BY-NC '