Marquemos o encontro ao cimo da escada: O papel da activação fisiológica na atracção interpessoal

David Rodrigues, Teresa Garcia-Marques

Resumo


No presente artigo é estudado o impacto da activação fisiológica prévia na atracção sentida por uma pessoa alvo, quer a nível geral, quer a nível romântico, no “primeiro momento” de um encontro.

O nível de activação fisiológica foi manipulado através do exercício físico (subir e descer escadas) realizado pelos participantes antes de avaliarem a pessoa alvo – considerada como “neutra” em termos de beleza física e simpatia.

Verificou-se que numa amostra de 72 pessoas do género feminino, a excitação fisiológica provocou níveis de atracção geral tendencialmente mais elevados, comparativamente com as pessoas que não realizaram exercício físico. Estes efeitos foram-se acentuando com o aumento da distância temporal entre a activação fisiológica e os julgamentos de atracção. O facto de um indivíduo estar envolvido amorosamente com outro interferiu no grau de atractividade reportado pela pessoa-alvo, sugerindo a hipótese de moderação do efeito em estudo.


Palavras-chave


Atracção interpessoal; activação fisiológica

Texto Completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14417/ap.559

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Nº ERC: 107494 | ISSN (in print): 0870-8231 | ISSN (online): 1646-6020 | Copyright © ISPA - CRL, 2012 | Rua Jardim do Tabaco, 34, 1149-041 Lisboa | NIF: 501313672 | O portal e metadados estão licenciados sob a licença Creative Commons CC BY-NC